PESQUISA TRANSLACIONAL EM ENSINO: UMA APROXIMAÇÃO

Irineu Mario Colombo, Dirceia Aparecida Silva Anjos, Jovana Ritter Antunes

Resumo


A pesquisa translacional teve origem na medicina, sendo que atualmente, o formato é utilizado em várias outras áreas. Na educação, particularmente no ensino de um conteúdo específico, o refinamento da técnica, da didática ou do produto educacional para atingir ao objetivo, deve ser criticado e deve refletir inclusive na revisão do suporte científico e tecnológico adotado para o procedimento de ensino. Este artigo tem o objetivo de apresentar uma aproximação à pesquisa translacional, sua origem e aplicação ao ensino, com base em pesquisa bibliográfica que discute, desde seu uso na área da saúde, até sua transposição para a educação, com apresentação de duas experiências correntes na área de ensino. Ao final, permite considerar que a pesquisa translacional no ensino está em processo de estruturação, discussão e representa uma oportunidade de pensar diferente a forma de ensinar e aprender em ambientes formais e não formais de educação.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Valderilio F. Medicina translacional: qual a importância para a prática reumatológica? Revista Brasileira Reumatol. 49(1), p. 81-83, 2009.

BARBOSA, L.; NETO, A P. Ludwik Fleck (1896-1961) e a translação do conhecimento: considerações sobre a genealogia de um conceito. Saúde Debate. Rio de Janeiro, v 41, n. esp., p. 317-329, mar. 2017.

CARDOSO, Gilberto Perez. Medicina translacional. Revista conduta médica, n. 56, Abr/Mai/Jun, 2013. Disponível em: http://www.condutamedica.com.br/artigos.asp?id=98&mostrarEditorial=S. Acesso em: 14/03/2019.

CAPES. Diretora de Avaliação. Documento de área 2013. Área de avaliação: Ensino. 2013. [S.I.]. Disponível em: www.capes.gov.br/images/stories/download/avaliacaotrienal/Docs_de_area/Ensino_doc_area_e_comissão_block.pdf. Acesso em: 22.09.2018.

______. Diretoria de Avaliação. Comunicado conjunto nº 001/2013 – Áreas de Ensino e de Educação. Perspectiva de cooperação e articulação. Brasília, 2013b.

______. Diretoria de Avaliação. Documento de área 2016. Área de avaliação: Ensino. 2016. [S.I]. Disponível em: www.capes.gov.br/images/documentos/Documentos_de_area_2017/DOCUMENTO_AREA_ENSINO_24_MAIO.pdf. Acesso em: 28.09.2018.

______. Diretoria de Avaliação. Considerações sobre classificação de produção técnica. Área de avaliação: Ensino. 2016. Disponível em: www.capes.gov.br/images/documentos/Classificação_da_Produção_Técnica_2017/46_ENSI_class_prod_tecn_jan2017.pdf. Acesso em: 07/10/2018.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. Ed. Ática: São Paulo, 2000.

CLAVIER, C. et al. A theory-based model of translation practices in public health participatory research. Sociology of Health & Illness. Bethesda, v. 34, n. 5, p. 791-805, September, 2011.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da Escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

DINIZ, C.W.P; Os dilemas do desenvolvimento científico e tecnológico brasileiro. Revista ciência e saúde coletiva, v.9 (2), p. 271 -274, 2004.

GIBBONS, M. et al. The new production of knowledge: the dynamics of science and research in contemporary societies. Sage: Londres, 1994.

GUIMARÃES, R. Pesquisa Translacional: uma interpretação. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 6. Rio de Janeiro, jun. 2013.

MATOS, H. José de. O quadrante de Pasteur e a pesquisa clínica: por um mundo melhor. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 8, n. 3, p. 07–08, 2017.

MOREIRA, M. A. Uma análise crítica do ensino de Física. Estudos Avançados 32 (94), p. 73- 80, 2018.

SANTOS, Boaventura de Souza. Um discurso sobre as ciências na transição para uma ciência pós-moderna. Estudos Avançados, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 46-71, ago. 1988.

SANTOS, V. G. dos; ALMEIDA, S. E. de; ZANOTELLO, M. A sala de aula como um ambiente equipado tecnologicamente: reflexões sobre formação docente, ensino e aprendizagem nas séries iniciais da educação básica. Rev. Bras. Estudos Pedagógicos, v. 99, n. 252, p. 331-349, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica